Cursos

Com muita satisfação recebi a notícia que o curso de Tecnologia em Design de Moda da Universidade Católica de Pelotas teve a nota máxima na avaliação do MEC.

Minha satisfação se deve por ter sido responsável pela estruturação do projeto pedagógico do curso, bem como a coordenadora durante o período da sua implantação, sendo esse o período de avaliação pelo MEC.

Como a proposta do Blog também é abrir uma discussão sobre os projetos pedagógicos dos cursos de design de moda e considerando a avaliação positiva do MEC no projeto por mim planejado, acho importante fazer algumas colocações sobre os fundamentos mais significativos que me levaram a estruturar o projeto, partindo primeiramente de uma análise do mercado.

Três foram os pontos que destaquei como relevantes na análise de mercado.

1.  Análise de projetos pedagógicos de cursos de moda.  

Nesta análise ficou muito claro que o foco principal dos cursos está voltado para a área de criação de produtos enquanto estilo.  O número da carga horária dirigido para esta área é realmente bastante expressivo.

Por outro lado, o total da carga horária determinada para a área técnica de desenvolvimento de produto, considerando a estruturação de bases e a interpretação de modelagem é pouco expressiva, considerando o percentual total da carga horária dos cursos.

2.  Necessidades do mercado.

Uma constante vinda dos empresários durante as consultorias que faço na área de modelagem em empresas de diferentes portes é a necessidade de profissional na área de modelagem, assim como na área de gerencia de produto.  Entretanto, eles percebem que a área de modelagem é mais difícil de ser preenchida.  Entendem que o produto enquanto peça a ser vestida com conforto e conformidade com o corpo inicia com a construção da modelagem.  Dizem até que a empresa “está nas mãos das modelistas”.  Posso dizer que é geral na percepção dos empresários que no Brasil não há profissionais na área de modelagem para construir o pensamento crítico que a área necessita.  Não é decorar e fazer, mas levar os profissionais a construir as roupas de acordo as necessidades das diferentes formas de corpo.

3.  Depoimento de alunos.

Em toda a minha vida como professora, prestar muita atenção na fala dos alunos é uma constante.  Nesta etapa, três pontos tiveram destaque, vindos dos alunos.

O primeiro está relacionado com a carga horária dedicada a área de modelagem.

Após concluir as disciplinas de modelagem que ministrei (geralmente eram as últimas disciplinas da grade), os alunos na maioria, gostariam de continuar com outras disciplinas mais avançadas e mostravam insegurança se fossem para o mercado com o conhecimento recebido até ali.

O segundo está relacionado a sensação de que não havia uma integração entre os conteúdos das disciplinas no sentido geral do curso.

O terceiro diz respeito a necessidade de desenvolver a prática profissional durante a construção do conhecimento sob orientação dos professores.  Era comum ver alunos preparados, mas se sentiam completamente inseguros, porque nunca haviam tido a oportunidade de vivenciar o processo profissional completo em tempo real.

Projeto pedagógico estruturado por mim

Tendo apresentado os pontos importantes de reflexão que fiz antes de pensar na proposta do curso, vou então passar a descrever as diferenças que foram inseridas no projeto pedagógico.

1.  Carga horária na área de modelagem

O curso tem duração de 3 anos, seis semestres e o total de carga horária é de 1800 horas conforme orientação do MEC.  Deste total, 360 horas são exclusivamente para a área de modelagem.  180 horas são para a área de pilotagem de produtos, totalmente integrado com as disciplinas de modelagem e 200 horas são de estágio curricular. 120 horas são para disciplinas eletivas, podendo o aluno escolher disciplinas nos diversos cursos da universidade de modo a complementar a área de conhecimento que pretenda se dedicar profissionalmente.

Na área de modelagem os alunos estudam somente a modelagem feminina.  Como se vê, estudam em profundidade e tem oportunidade de modelar, confeccionar e avaliar a performance do seu conhecimento.  Tendo domínio na modelagem feminina (que é a mais complexa, devido as curvas e saliências do corpo), os alunos rapidamente podem ter o aprendizado da modelagem masculina e infantil através de disciplinas eletivas.

Integração de Design de moda.

Este item se relaciona com a necessidade dos alunos de perceberem a integração dos conteúdos em cada semestre cursado.

Num total de 80 horas distribuídos nos quatro primeiros semestre, os alunos tem quatro disciplinas de 20 horas cada, onde são ministrados conhecimentos de design e ao final do semestre eles devem apresentar um projeto individual em forma de dossiê técnico relacionando os conhecimentos trabalhados no semestre.  È  realmente um projeto de integração dos conteúdos, sendo avaliado pelos professores que ministraram as disciplinas no semestre.  Ao final do curso cada aluno já teve a oportunidade de integrar os conhecimentos acumulativamente construindo sua prática profissional.

Comentário –  Não foi fácil a aceitação dos alunos.  Foi uma batalha que somente foi vencida quando após os estágios tiveram excelente desempenho.  Realmente, posso dizer que a maioria dos alunos foi categórica, em avaliar como um grande diferencial do curso.

Experiência da prática profissional.

Por considerar extremamente importante a confiança profissional, pensei em como proporcionar experiência durante o curso, uma vez que o total da carga horária para todos os outros conteúdos era importantíssimo para formação conceitual.  Sendo assim, foram estruturados projetos extra classe para cada semestre onde os alunos teriam oportunidade de vivenciar no semestre e de forma acumulativa uma experiência pontual relacionado ao seu nível de conhecimento.

Vários projetos foram propostos, sempre com o objetivo específicos.

Projetos e objetivos:

Moda no supermercado – Desenvolver uma coleção para um público que freqüenta o supermercado com preços acessíveis e com design inovador.  Neste projeto a ênfase esta na criação do desenho do produto, sendo a confecção responsabilidade do supermercado.

Moda na rua – Desenvolver o processo de criação e produção de peças para serem comercializadas em um dia numa espécie de feira numa rua da cidade.  Cada aluno escolhe o público alvo e comercializa no evento.  É um feedback perfeito para o aluno considerando o resultado das vendas.  Vários alunos iniciaram seus negócios, ainda na faculdade, a partir destes projetos.

Outros projetos:

A cada semestre eram selecionados eventos junto com lojistas, empresas de confecção, feira do livro, enfim, vários projetos que levassem o aluno a desenvolver uma área de conhecimento.  Alunos de primeiro a último semestre tinham sempre projetos relacionados com os conhecimentos adquiridos.

Também considerando na área da experiência profissional, destaco a estrutura planejada para o estágio supervisionado.

O estágio foi planejado em dois semestres.  No estágio supervisionado I (que corresponde ao penúltimo semestre do curso) o aluno é levado a refletir sobre o projeto que pretende desenvolver no estágio, considerando a empresa em que irá aplicar o projeto. Importante ressaltar que todos os alunos devem estagiar nas seguintes formas: a) em empresas do mercado, b) desenvolver seu próprio negócio ou c) desenvolver projetos de novas tecnologias.

Sob a orientação do professor de estágio supervisionado I cada aluno ao final do semestre apresentará uma proposta de projeto.

No estágio supervisionado II os alunos implantam os projetos de acordo com as propostas, sob a supervisão de professores orientadores.  Ao final do estágio é apresentado um relatório onde é feita a descrição da implantação, bem como a avaliação dos resultados.

Desta maneira, penso que a construção do conhecimento de forma integrada e dando aos alunos a possibilidade de experimentar ainda sob a orientação dos professores é realmente o grande diferencial para levar a segurança profissional.

Finalizando, gostaria de salientar que o projeto pedagógico descrito esteve implantado de 2007 a 2009 da implantação até a formação da primeira turma do curso em 2009, quando estava sob minha coordenação.  Hoje, não estando mais na instituição, não tenho certeza que o projeto continue igual, sem sofrer nenhum 

Com muita satisfação recebi a notícia que o curso de Tecnologia em Design de Moda da Universidade Católica de Pelotas teve a nota máxima na avaliação do MEC.

Minha satisfação se deve por ter sido responsável pela estruturação do projeto pedagógico do curso, bem como a coordenadora durante o período da sua implantação, sendo esse o período de avaliação pelo MEC.

 

Como a proposta do Blog também é abrir uma discussão sobre os projetos pedagógicos dos cursos de design de moda e considerando a avaliação positiva do MEC no projeto por mim planejado, acho importante fazer algumas colocações sobre os fundamentos mais significativos que me levaram a estruturar o projeto, partindo primeiramente de uma análise do mercado.

Três foram os pontos que destaquei como relevantes na análise de mercado.

 

1.  Análise de projetos pedagógicos de cursos de moda.  

 

Nesta análise ficou muito claro que o foco principal dos cursos está voltado para a área de criação de produtos enquanto estilo.  O número da carga horária dirigido para esta área é realmente bastante expressivo.

Por outro lado, o total da carga horária determinada para a área técnica de desenvolvimento de produto, considerando a estruturação de bases e a interpretação de modelagem é pouco expressiva, considerando o percentual total da carga horária dos cursos.

 

2.  Necessidades do mercado.

 

Uma constante vinda dos empresários durante as consultorias que faço na área de modelagem em empresas de diferentes portes é a necessidade de profissional na área de modelagem, assim como na área de gerencia de produto.  Entretanto, eles percebem que a área de modelagem é mais difícil de ser preenchida.  Entendem que o produto enquanto peça a ser vestida com conforto e conformidade com o corpo inicia com a construção da modelagem.  Dizem até que a empresa “está nas mãos das modelistas”.  Posso dizer que é geral na percepção dos empresários que no Brasil não há profissionais na área de modelagem para construir o pensamento crítico que a área necessita.  Não é decorar e fazer, mas levar os profissionais a construir as roupas de acordo as necessidades das diferentes formas de corpo.

 

3.  Depoimento de alunos.

 

Em toda a minha vida como professora, prestar muita atenção na fala dos alunos é uma constante.  Nesta etapa, três pontos tiveram destaque, vindos dos alunos.

 

O primeiro está relacionado com a carga horária dedicada a área de modelagem.

Após concluir as disciplinas de modelagem que ministrei (geralmente eram as últimas disciplinas da grade), os alunos na maioria, gostariam de continuar com outras disciplinas mais avançadas e mostravam insegurança se fossem para o mercado com o conhecimento recebido até ali.

O segundo está relacionado a sensação de que não havia uma integração entre os conteúdos das disciplinas no sentido geral do curso.

O terceiro diz respeito a necessidade de desenvolver a prática profissional durante a construção do conhecimento sob orientação dos professores.  Era comum ver alunos preparados, mas se sentiam completamente inseguros, porque nunca haviam tido a oportunidade de vivenciar o processo profissional completo em tempo real.

 

Projeto pedagógico estruturado por mim

 

Tendo apresentado os pontos importantes de reflexão que fiz antes de pensar na proposta do curso, vou então passar a descrever as diferenças que foram inseridas no projeto pedagógico.

 

1.  Carga horária na área de modelagem

 

O curso tem duração de 3 anos, seis semestres e o total de carga horária é de 1800 horas conforme orientação do MEC.  Deste total, 360 horas são exclusivamente para a área de modelagem.  180 horas são para a área de pilotagem de produtos, totalmente integrado com as disciplinas de modelagem e 200 horas são de estágio curricular. 120 horas são para disciplinas eletivas, podendo o aluno escolher disciplinas nos diversos cursos da universidade de modo a complementar a área de conhecimento que pretenda se dedicar profissionalmente.

Na área de modelagem os alunos estudam somente a modelagem feminina.  Como se vê, estudam em profundidade e tem oportunidade de modelar, confeccionar e avaliar a performance do seu conhecimento.  Tendo domínio na modelagem feminina (que é a mais complexa, devido as curvas e saliências do corpo), os alunos rapidamente podem ter o aprendizado da modelagem masculina e infantil através de disciplinas eletivas.

 

Integração de Design de moda.

 

Este item se relaciona com a necessidade dos alunos de perceberem a integração dos conteúdos em cada semestre cursado.

Num total de 80 horas distribuídos nos quatro primeiros semestre, os alunos tem quatro disciplinas de 20 horas cada, onde são ministrados conhecimentos de design e ao final do semestre eles devem apresentar um projeto individual em forma de dossiê técnico relacionando os conhecimentos trabalhados no semestre.  È  realmente um projeto de integração dos conteúdos, sendo avaliado pelos professores que ministraram as disciplinas no semestre.  Ao final do curso cada aluno já teve a oportunidade de integrar os conhecimentos acumulativamente construindo sua prática profissional.

Comentário  Não foi fácil a aceitação dos alunos.  Foi uma batalha que somente foi vencida quando após os estágios tiveram excelente desempenho.  Realmente, posso dizer que a maioria dos alunos foi categórica, em avaliar como um grande diferencial do curso.

 

Experiência da prática profissional.

 

Por considerar extremamente importante a confiança profissional, pensei em como proporcionar experiência durante o curso, uma vez que o total da carga horária para todos os outros conteúdos era importantíssimo para formação conceitual.  Sendo assim, foram estruturados projetos extra classe para cada semestre onde os alunos teriam oportunidade de vivenciar no semestre e de forma acumulativa uma experiência pontual relacionado ao seu nível de conhecimento.

Vários projetos foram propostos, sempre com o objetivo específicos.

Projetos e objetivos:

Moda no supermercado – Desenvolver uma coleção para um público que freqüenta o supermercado com preços acessíveis e com design inovador.  Neste projeto a ênfase esta na criação do desenho do produto, sendo a confecção responsabilidade do supermercado.

Moda na rua – Desenvolver o processo de criação e produção de peças para serem comercializadas em um dia numa espécie de feira numa rua da cidade.  Cada aluno escolhe o público alvo e comercializa no evento.  É um feedback perfeito para o aluno considerando o resultado das vendas.  Vários alunos iniciaram seus negócios, ainda na faculdade, a partir destes projetos.

 

Outros projetos:

A cada semestre eram selecionados eventos junto com lojistas, empresas de confecção, feira do livro, enfim, vários projetos que levassem o aluno a desenvolver uma área de conhecimento.  Alunos de primeiro a último semestre tinham sempre projetos relacionados com os conhecimentos adquiridos.

 

Também considerando na área da experiência profissional, destaco a estrutura planejada para o estágio supervisionado.

O estágio foi planejado em dois semestres.  No estágio supervisionado I (que corresponde ao penúltimo semestre do curso) o aluno é levado a refletir sobre o projeto que pretende desenvolver no estágio, considerando a empresa em que irá aplicar o projeto. Importante ressaltar que todos os alunos devem estagiar nas seguintes formas: a) em empresas do mercado, b) desenvolver seu próprio negócio ou c) desenvolver projetos de novas tecnologias.

Sob a orientação do professor de estágio supervisionado I cada aluno ao final do semestre apresentará uma proposta de projeto.

No estágio supervisionado II os alunos implantam os projetos de acordo com as propostas, sob a supervisão de professores orientadores.  Ao final do estágio é apresentado um relatório onde é feita a descrição da implantação, bem como a avaliação dos resultados.

 

Desta maneira, penso que a construção do conhecimento de forma integrada e dando aos alunos a possibilidade de experimentar ainda sob a orientação dos professores é realmente o grande diferencial para levar a segurança profissional.

 

Finalizando, gostaria de salientar que o projeto pedagógico descrito esteve implantado de 2007 a 2009 da implantação até a formação da primeira turma do curso em 2009, quando estava sob minha coordenação.  Hoje, não estando mais na instituição, não tenho certeza que o projeto continue igual, sem sofrer nenhum

Para qualificar interessados na área de modelagem é necessário construir uma sequência de conteúdos, partindo sempre de um modelo teórico de construção do conhecimento.  Simplesmente oferecer cursos de curta duração de modelagem não é meu objetivo.  A proposta está em construir um raciocínio didático sempre compreendendo o todo do processo de sobrepor a roupa sobre o corpo, partindo do conceito de design como um projeto de produto.

Sendo assim, cada curso é elaborado com o foco em um tipo de produto, sem no entanto desvincular o conceito do projeto de design.  A carga horária total em sala de aula é condensada, sendo preparado uma série de exercícios que o aluno pode desenvolver extra classe, retornando para retirar dúvidas na sala de aula ou através do BLOG.

Esses cursos tanto podem ser oferecidos como projetos de extensão para cursos de moda, como podem ser organizados por sindicatos vinculados com as empresas de confecção.  Podem também ser apresentados em forma de pequenos conteúdos em semana acadêmica para despertar a paixão nos alunos que ainda não compreendem a importância da área da modelagem na sua vida profissional.

Estarei logo, apresentando algumas possibilidades a serem oferecidas.  Se tiverem sugestões em cima das necessidades regionais, poderei estruturar uma proposta de acordo com a solicitação.

Vamos nos comunicar.  O importante é globalizar o conhecimento.  Somos uma democracia que acolhe a todos que querem obter mais conhecimento em modelagem.

3 respostas para Cursos

  1. luciana disse:

    Ola, sou estudante do curso tecnico do vestuario do senai modatec em Belo Horizonte MG. Ja domino um pouco a costura e depois que iniciei o curso tenho me interessado muitissimo por tudo que esta relacionado à confecção. Na verdade atualmente eu sou so uma dona de casa que sabe costurar mas tenho um sonho de montar uma confeção. E estou com um imenso desejo de absorver cada vez mais conhecimento nesta area. Atualmente estamos passando pela aula de corte industrial. Sempre que posso entro na internet em busca de coisas novas, possibilidades de novos cursos e de descobrir e descobrir cada vez mais. Estou anciosa para entrar na aula de modelagem que tera inicio no proximo ano no segundo modulo do meu curso. Quero acompanhar seu blog por que sei que vou aprender muito. Obrigada. Tudo de bom pra vc.

    • Oi Luciana,
      Sei como é frustrante querer aprender e não saber o caminho. Por essa razão é que coloco meu trabalho a disposição de todos os amantes deste conhecimento. Acho maravilhoso receber essa energia legal de tí querer estar conectada junto comigo. Manda dúvidas que vou tentar ajudar.
      Obrigado pela preferência
      Abraço
      Ligia

  2. marcio santos disse:

    GOSTEI DO SEU BLOG O MEU AINDA ESTA POUCO PARADO
    CASO QUEIRA FAZER COMENTARIO E POSTAR FIQUE A VONTADE
    ABRAÇOS DO SEU AMIGO
    MARCIO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: